Vida saudável

Correr na cidade por Correr Lisboa

Bruno Claro é o fundador da comunidade dedicada a correr por Lisboa, com treinos organizados todas as semanas, entre eles, uma corrida pela zona histórica, a subir e descer pelas ruelas de Alfama. É lisboeta, faz da cidade o seu próprio ginásio e indica os melhores locais para correr.

Parque das Nações

Lisboa tem uma excelente temperatura para correr, e suficiente luz natural para se estar na rua até mais tarde. No Parque das Nações está a zona nova, totalmente requalificada, plana, sempre com o Tejo no campo de visão.

Vale do Silêncio

Um parque escondido no meio cidade, com uma grande zona de relvado, ideal para exercícios de reforço muscular. A amplitude do parque permite que possamos nos perder, em contacto constante com a natureza.

Zona histórica

É uma experiência única correr nas ruas estreitas da cidade – Alfama, Sé, Mouraria – e ser recebidos por palavras de incentivo, até palmas. Neste percurso sentimos a história de Lisboa a cada passada, apesar de ser uma montanha russa de constante sobe e desce.

Bicicleta na cidade por Massa Crítica Lisboa

A Massa Crítica é uma comunidade independente e um passeio semanal no centro da cidade, sempre em transportes não poluentes de tracção humana. Aqui o desafio é pegar na bicicleta e descobrir a cidade, em ritmo de passeio, por ruas seguras com pouco trânsito, independentemente da experiência que possa ter como ciclista.

Ciclovia Frente Ribeirinha

Parque das Nações/Algés

A ciclovia que liga o Parque das Nações a Algés é a forma clássica de atravessar a cidade de bicicleta, com pontos de vista deslumbrantes, como a Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos, sobretudo no pôr-do-sol. Ideal para levar a máquina fotográfica.

Ciclovia Eixo Central

Avenida da República

Este é o cycle district de Lisboa, a começar pela renovada Avenida da República, que contagiou toda a zona envolvente, desde o Marquês de Pombal, Campo Grande às Avenidas Novas. Não é incomum ver aqui executivos de fato e gravata ao lado de crianças a caminho da escola.

Corredor Verde

Parque Eduardo VII/Monsanto

A começar pelo Parque Eduardo VII, pode passar no Jardim Amália Rodrigues, e atravessar a Rua Marquês da Fronteira pela ponte ciclável. Ao percorrer a Avenida Calouste Gulbenkian, consegue uma visão aberta para o Aqueduto das Águas livres e a Ponte 25 de Abril.

Parque Florestal de Monsanto

Conhecido como o pulmão de Lisboa, este parque tem diversos trilhos,
percursos pedonais e cicláveis, onde pode explorar a veia desportiva nos single tracks e nas subidas íngremes. Se estiver confiante, pode fazer todo o percurso até ao Panorâmico de Monsanto, a recompensa é a vista 270º sobre a cidade.

Jardins na cidade por Liga Amigos Jardim Botânico de Lisboa

Em 1986, um grupo de amigos decidiu juntar-se para promover e salvaguardar o Jardim Botânico, e com o passar dos anos, essa comunidade estendeu as suas preocupações para o resto do país, para a relação da sociedade com os espaços verdes.

Jardim Botânico de Lisboa

Rua da Escola Politécnica 56/58

O ex-libris verde é um dos monumentos nacionais que devemos visitar, onde podemos nos perder entre os exemplares de 1500 espécimes, alguns com mais de 140 anos. As cicadáceas são um dos pontos altos.

Jardim Botânico da Ajuda

Calçada da Ajuda

O jardim botânico mais antigo da cidade foi mandado construir após o terramoto de 1755, pelo Marquês de Pombal. Aqui é o local indicado para ver os dragoeiros centenários.

Estufa Fria

Parque Eduardo VII

Oculto no centro de Lisboa, é um dos jardins mais luxuriantes da capital. A entrada neste jardim é comparável a entrar numa selva tropical, sendo que a Estufa Fria é complementar à Estufa Quente e Estufa Doce.

Jardim da Estrela

Praça da Estrela

Em frente à Basílica da Estrela está um jardim repleto de vida, para estar com amigos, família, na companhia de um livro ou simplesmente, deitado num dos relvados a contemplar as copas das árvores.

Parque Botânico do Monteiro-Mor

Largo Júlio Castilho

Uma variada coleção botânica, ainda com zonas de mata, relvado, e horta, está neste parque adjacente ao Museu Nacional do Teatro e da Dança, um local perfeito para fazer um piquenique à sombra das imponentes árvores.